BARBEARIA ATÓMICA

BARBEARIA ATÓMICA
de Alexandre Lyra Leite e Rita Leite
a partir de poemas de António José Forte

Fábrica das Palavras, Vila Franca de Xira
20 Maio 2021, 21:00
Estreia no âmbito do MURAL 18 – Programação Cultural em Rede
AML – Área Metropolitana de Lisboa
www.mural18.pt

Performance surrealista para uma voz poética, um barbeiro, uma guitarra eléctrica e um aprumado ensemble de cordas.
Versos como lâminas, fragrâncias doces e secretas, a espuma dos dias para um barbeado impecável. As palavras cortantes de António José Forte, último grande poeta surrealista português, ecoam na mítica Barbearia Atómica, cenário inspirador para a criação de um novo visual de faca nos dentes.

Ficha Artística

Concepção e Direcção Artística Alexandre Lyra Leite e Rita Leite
Poemas António José Forte
Música Peixe
Interpretação Francisco Campos, Rui Baeta
Violino Joana Amorim
Viola de arco Magda Pinto
Violoncelo Joana Correia
Guitarra eléctrica Peixe
Design gráfico Rita Leite
Direcção técnica Fernando Tavares
Apoio à produção Susana Serralha
Agradecimentos Ana Rato, Gisela Marta Forte, Rui Nunes
Produção executiva Rita Leite
Produção Inestética companhia teatral

Performance | 2021 | M/12


Vila Franca de Xira
Fábrica das Palavras, 20 Mai 2021 (estreia)

Barbearia Atómica

Para o banquete com talheres de prata
chegam os poetas com as musas ao colo
elas todas nuas
eles de gravata

servem-se as lagostas
ao som do piano
e depois a carne
carne de licorne
desce de aeroplano

tudo com muitos vinhos
de vários sabores
por copos infindos
como são os amores

e após o banquete
entre aves canoras
os poetas e as musas
saem para o espaço
em camas voadoras

Poema, António José Forte