O TERCEIRO HOMEM de Alexandre Lyra Leite

O TERCEIRO HOMEM
de Alexandre Lyra Leite

Quanto tempo leva um corpo a cair?

Paris, anos cinquenta.
Numa manhã de Outono, Béatrice Bonnard decide lançar-se da Torre Eiffel. O seu corpo, arrastado pelo vento, embate com violência no automóvel de Jean Beaumort. Nessa mesma manhã, o comandante Hopper detecta uma falha no sistema de navegação. Alguns minutos depois, o voo 542 da Queen Airways, com destino a Londres, despenha-se no Canal da Mancha. Béatrice Bonnard e o comandante Hopper sobreviveram.
Esta é a sua extraordinária história.

Tendo por inspiração a história verídica de uma mulher que sobreviveu após ter saltado da Torre Eiffel e o tema “From the air”, de Laurie Anderson, “O 3º homem” é um projecto no domínio do fantástico, de características fortemente visuais, que explora o conceito de “queda” como ponto de partida para uma insólita história de amor.

Um espectáculo que cruza a linguagem teatral, a dança e o vídeo – onde se incluem sequências subaquáticas – com texto e encenação de Alexandre Lyra Leite, música do compositor Afonso Malão, figurinos do atelier Storytailors e coreografia de Catarina Trota.

Trilogia Random Access Memory

Trilogia RAM (Random Access Memory)
O Homem Vazio (2003)
O Homem Absurdo (2005)
O Terceiro Homem (2006)

Ficha Artística

texto e encenação Alexandre Lyra Leite
assistência de encenação Catarina Trota, Rita Leite
música Afonso Malão
coreografia Catarina Trota
figurinos Storytailors
concepção visual Rita Leite, Nuno Dionísio, Alexandre Lyra Leite
interpretação Carla Jordão, Eunice Gonçalves Duarte, Gracinda Nave, Inês Jacques, Luis Amarelo, Rui Mourão, Silvia Lucena
direcção técnica Nuno Dionísio
filmagens subaquáticas Paulo Antunes
figuração vídeo Ana Patrícia Inocêncio, José Ricardo Ribeiro, Rita Esteves, Sara Pratas, Tiago Almeida
design gráfico Rita Leite
produção executiva Ana Patrício
produção Inestética 2006

estrutura financiada pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
apoios Ateneu Artístico Vilafranquense, Arte Franca – Publicidade, Café Puro, Clube Vilafranquense, Hipermercado Modelo, Ideia Clara – Design, IPJ – Inst. Português da Juventude, Junta de Freguesia Vila F. Xira, McDonald´s Vilafranca Centro, Museu do Ar, Ourivesaria Citânia, Rua Direita Café, Soartes – Artes Gráficas
apoio à divulgação Jornal Vida Ribatejana, Ultra FM
agradecimentos Bombeiros Voluntários de Alhandra, Bombeiros Voluntários Vila F. Xira, Centro Cultural da Malaposta, Museu da TAP, Teatro Maria Matos

teatro/dança | M/12 | 1:30


Lisboa
Teatro Maria Matos, 2 a 6 Ago 2006
Odivelas
Centro Cultural da Malaposta, 4 a 7 Mai 2006
Vila Franca de Xira
Ateneu Artístico Vilafranquense 21 a 23 Abr 2006

fotos © Alexandre Lyra Leite

Media
Reportagem SIC, Agosto 2006

“Boas Interpretações. Música excelente. Um espectáculo visualmente soberbo.”
José Teófilo Duarte, Blogoperatório

“(…) um espectáculo com forte carga visual e sonora (…)
O cenário é dominado por um negro austero e minimal, com algumas imagens de vídeo projectadas de quando em quando sobre o fundo. As personagens surgem dentro de uma coreografia criada em torno da banda sonora de Afonso Malão.
(…) Num ambiente de sofisticação de um «admirável mundo novo» as hospedeiras repetem movimentos de uma sensualidade e elegância automatizada, que à medida que o espectáculo avança vão se tornando desconexos e apocalípticos.”
Alexandre Costa, Expresso

“(…) Ao longo de hora e meia, «O Terceiro Homem» propõe uma série de episódios, geralmente minimalistas e experimentais, onde a componente visual e a música de Afonso Malão são os elementos primordiais.”
Gonçalo Sá, Inside

“(..) Lyra Leite vai, como é de seu labor, à dramaturgia teatral para trabalhar O Terceiro Homem; mas também vai ao vídeo, para potenciar a dimensão pictórica (as produções da Inestética caracterizam-se pelo arrojo visual).”
Mónica Guerreiro, Agenda Cultural Lisboa

“(…) Meninas vestidas como se fossem uma espécie de hospedeiras, de inspiração vagamente oriental, em mini-saia, atravessam o palco com malas, fazem poses reminiscentes de alguns musicais mais ou menos aéreos (…)”
João Carneiro, Expresso

spot tv | Teatro Maria Matos, Lisboa