CD TABACARIA | ÓPERA DE CÂMARA

9,90

Ópera de câmara de Luís Soldado
Poema de Fernando Pessoa
Rui Baeta (barítono) / Inês Simões (soprano)
CD Digipack

Categoria: Etiquetas: ,

Descrição

TABACARIA
ópera de câmara de Luís Soldado
poema de Fernando Pessoa / Álvaro de Campos
℗ 2018 Inestética companhia teatral
© 2018 Luís Soldado / Inestética companhia teatral

1. Abertura (2:17)
2. Janelas do meu quarto (4:36)
3. Falhei em tudo (2:02)
4. Talvez tudo fosse nada (4:31)
5. Uma parede sem porta (3:20)
6. Conquistámos todo o mundo antes de nos levantar da cama (2:28)
7. Não posso querer ser nada (1:16)
8. Come chocolates, pequena! (1:10)
9. Meu coração é um balde despejado (2:52)
10. Como um lagarto a quem cortam o rabo (3:01)
11. Sempre o impossível tão estúpido como o real (2:29)
12. A metafísica é uma consequência de estar mal disposto (3:23)

CD Digipack (inclui booklet com libreto)

 

ouvir excerto

11. Sempre o impossível tão estúpido como o real (Tabacaria | ópera de câmara)

 


Música Luís Soldado
Poema Álvaro de Campos / Fernando Pessoa
Direcção musical Rui Pinheiro
Barítono Rui Baeta
Soprano Inês Simões
Flauta Daniela Pinheiro
Fagote Catherine Stockwell
Viola Magda Pinto
Violoncelo Sofia Azevedo
Gravação, edição e mistura José Grossinho
Design gráfico e Ilustrações Rita Leite
Produção Inestética companhia teatral

Projecto financiado por 
República Portuguesa – Cultura / DgArtes
Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
Fundação GDA
Apoios
Arte Franca / Imarte

Agradecimentos
CESEM – Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical – FCSH/UNL, LAMCI, Clara Riso (Casa Fernando Pessoa), Academia de Música de Óbidos

Ópera de câmara estreada no Palácio do Sobralinho, Vila Franca de Xira, em Novembro de 2017, a partir do poema “Tabacaria” (1928) de Álvaro de Campos, com encenação de Alexandre Lyra Leite.

Composição realizada por Luís Soldado no âmbito do seu pós-doutoramento (SFRH/BPD/114908/2016), no Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.