Inestética apresenta NOIR no festival contraDANÇA 2019

NOIR de Alexandre Lyra Leite

A Inestética companhia teatral apresenta NOIR, de Alexandre Lyra Leite, a partir de Edward Gorey, no Festival contraDANÇA, dia 11 de Outubro, pelas 21:30, no Teatro Cine de Gouveia.

Esta 10ª edição do festival organizado pela ASTA – Teatro e Outras Artes decorre na Covilhã, em Gouveia e Teixoso, com uma programação eclética onde a palavra-chave é o movimento e a dança, a performance e o teatro se combinam e conjugam.

NOIR, estreado pela Inestética em 2018, inspira-se no livro “The Loathsome Couple” do autor e ilustrador norte-americano Edward Gorey, que narra a história macabra de um casal de serial-killers, responsável pelo assassinato de várias crianças em Inglaterra, nos anos 60.

Trata-se de um espectáculo predominantemente visual e coreográfico, no domínio do fantástico, com encenação e dramaturgia de Alexandre Lyra Leite, música original de Luís Soldado, coreografia de Sofia Silva e figurinos de Rita Álvares Pereira.
A interpretação está a cargo de Afonso de Melo, Carolina Inácio e Linda V, acompanhados ao vivo por um ensemble composto por Sofia Grilo (violino), Magda Pinto (viola de arco) e Teresa Araújo (violoncelo).

Concepção visual Alexandre Lyra Leite, Rita Leite
Design gráfico Rita Leite
Make-up e cabelos Catarina Esteves
Boneca Amy Fulana Beltrana Sicrana
Montagem e assistência técnica Fernando Tavares, Vasco Lisboa
Apoio à produção Cátia Costa, Fernando Tavares, Susana Serralha
Fotografia Alexandre Lyra Leite
Registo e edição vídeo Vítor Hugo Costa
Produção Inestética companhia teatral

Projecto financiado pela República Portuguesa – Cultura / DGArtes e Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
Com o apoio da União de Freguesias de Alverca do Ribatejo e Sobralinho, Arte Franca – Publicidade, Imarte – Design e [metafilmes]

Mais informações sobre o Festival contraDANÇA 2019

Ópera TABACARIA no Centro Cultural do Morgado, Arruda dos Vinhos

A Inestética companhia teatral apresenta a ópera “Tabacaria” de Luís Soldado e Alexandre Lyra Leite, a partir do poema homónimo de Álvaro de Campos / Fernando Pessoa, no Centro Cultural do Morgado, em Arruda dos Vinhos, no próximo dia 21 de Setembro de 2019, pelas 22 horas.
O espectáculo encerra o Fórum Cultural 2019 e está inserido na programação das Comemorações dos XXX anos da Biblioteca Municipal Irene Lisboa.

Tabacaria | Ópera de câmara -Centro Cultural do Morgado

A estranheza da existência e a incompreensão do real são os temas centrais desta abordagem contemporânea a um dos mais belos poemas de sempre, escrito em 1928 por Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa.

Visão niilista ou uma “espécie de epopeia do fracasso absoluto”, como designou o pessoano Robert Bréchon, “Tabacaria” coloca em permanente diálogo duas dimensões opostas, que serviram de inspiração para a estruturação da obra musical e das suas texturas sonoras: a solidão interior do protagonista, lugar de pensamento, introspecção e devaneio, e a intrusão do universo exterior, observado através de uma janela para o mundo, aqui representado pela presença da voz feminina.

TABACARIA | ÓPERA DE CÂMARA
A partir do poema de Álvaro de Campos
Centro Cultural do Morgado, Arruda dos Vinhos
21 Setembro 2019, 22:00
Bilhetes à venda no Posto de Turismo de Arruda
Informações: 263 977 008

Música Luís Soldado
Poema Álvaro de Campos / Fernando Pessoa
Encenação Alexandre Lyra Leite
Direcção musical Rui Pinheiro
Interpretação Rui Baeta (barítono) e Inês Simões (soprano)
Ensemble Daniela Pinheiro (flauta), Catherine Stockwell (fagote), Magda Pinto (viola) e Sofia Azevedo (violoncelo)
Produção executiva Rita Leite
Assistência técnica Fernando Tavares
Produção Inestética companhia teatral

Projecto financiado por República Portuguesa – Cultura / DGArtes, Fundação GDA, Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
Colaboração Casa Fernando Pessoa
Apoios Arte Franca – Publicidade, Imarte – Design

Ópera TABACARIA encerra comemorações do 130º aniversário do nascimento de Fernando Pessoa

Tabacaria | ópera de câmara, a partir de Fernando Pessoa

A Inestética companhia teatral apresenta a ópera “Tabacaria” no encerramento das comemorações do 130.º aniversário do nascimento de Fernando Pessoa, promovidas pela Câmara Municipal de Alcochete, entre Junho e Novembro de 2018.
O espectáculo decorrerá no Fórum Cultural de Alcochete, dia 30 de Novembro, às 21:30.

 

Comemorações 130 Aniversário Fernando Pessoa

 

TABACARIA | ÓPERA DE CÂMARA
A partir do poema de Álvaro de Campos
Fórum Cultural de Alcochete
30 Novembro 2018, 21:30
Informações: 212 349 640 / forum.cultural@cm-alcochete.pt

Música Luís Soldado
Poema Álvaro de Campos / Fernando Pessoa
Encenação Alexandre Lyra Leite
Direcção musical Rui Pinheiro
Interpretação Rui Baeta (barítono) e Inês Simões (soprano)
Ensemble Daniela Pinheiro (flauta), Catherine Stockwell (fagote), Magda Pinto (viola) e Sofia Azevedo (violoncelo)
Design gráfico Rita Leite
Assistência técnica Fernando Tavares
Produção Inestética companhia teatral

A estranheza da existência e a incompreensão do real são os temas centrais desta abordagem contemporânea a um dos mais belos poemas de sempre, escrito em 1928 por Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa.

Visão niilista ou uma “espécie de epopeia do fracasso absoluto”, como designou o pessoano Robert Bréchon, “Tabacaria” coloca em permanente diálogo duas dimensões opostas, que serviram de inspiração para a estruturação da obra musical e das suas texturas sonoras: a solidão interior do protagonista, lugar de pensamento, introspecção e devaneio, e a intrusão do universo exterior, observado através de uma janela para o mundo, aqui representado pela presença da voz feminina.

Tabacaria | ópera de câmara, a partir de Fernando Pessoa

Disponível em CD

O POEMA

“Tabacaria” foi escrito em 1928 e publicado em Julho de 1933 na revista Presença. Considerado um dos poemas mais importantes do século XX por inúmeros escritores e ensaístas literários, foi escrito na designada fase Pessimista de Álvaro de Campos e consiste num dos textos mais significativos e representativos da sua obra poética.