Os textos de Kafka são o que são: clássicos, intemporais, cruelmente belos e por aí fora. "Processo" e "Metamorfose" são os meus preferidos. Levar qualquer deles à cena tetral deve ser um obra muito exigente. A companhia "Inestética" fê-lo com "Metamorfose". Está muito bem. Bem ritmado, bem encenado, bons actores (...) Vimos o espectáculo ontem, em Óbidos, e recomendo vivamente.
Correntes [blog]

A história já é conhecida, no entanto estamos perante uma excelente adaptação, todos os elementos se conjugam, resultando num espectáculo verdadeiramente sublime. Ainda por cima a estética Kubrickiana criada para esta peça encaixa perfeitamente no Palácio do Sobralinho, por isso aproveitem para ir ver até 30 de Março visto que a peça irá mudar-se posteriormente para Lisboa.

dissid3nt [blog]

De Praga aos arrabaldes de Lisboa, o "canonizado" escritor checo tem sido trabalhado e explorado em teatro inúmeras vezes. A Metamorfose é apresentada este Abril no centro da nossa capital pela Inestética, companhia de Vila Franca de Xira. Liderada por Alexandre Lyra Leite, é uma jovem companhia criada nos anos noventa, que já arrecadou vários prémios do Clube Português de Artes e Ideias. Esta encenação merece, pois, uma visita ao Jardim Botânico de Lisboa
A. Ribeiro Crú, DIF

Rita Leite e Alexandre Lyra Leite reinventaram o universo kafkaniano e o resultado é uma peça recheada de humor negro e de momentos de comédia física brilhantes. Tudo isto numa roupagem muito mais fresca do que o esperado, que surpreende, mas não desilude. O trabalho da coreógrafa Catarina Trota merece especial destaque, assim como as interpretações de Margarida Cardeal e Isabel Gaivão.

Vertiginosamente [blog]

Para quem não conhece o romance de Franz Kafka, cá vai. Era uma vez um homem que uma manhã acorda transformado num escaravelho. Ao início, tenta perceber a razão desta estranha metamorfose. Depois, perante a repulsa dos pais, dá início a um complexo processo interior de mutação, que o conduz a uma análise obsessiva do seu contexto familiar e social. É que à excepção da irmã, todos se recusam a ajudar este homem. Tudo muda. Tudo se transforma. Tudo se metamorfoseia. Será que há lugar para este ser? É uma história fantástica sobre um caixeiro-viajante-insecto. É sobretudo uma história de alerta à sociedade e aos comportamentos humanos. Escrita em 1912 e tão actual!

Sónia Castro, Lecool Magazine




 

COMPANHIA
PROJECTOS
FOTOS
LOJA
NEWSLETTER
PALÁCIO

A METAMORFOSE
a partir de Franz Kafka

sinopse | família samsa | fotos | spot tv | media

PALÁCIO